Recurso permitirá a catalogação de acervo completo de uma emissora permitindo até mesmo a venda para terceiros.

Desenvolvedora brasileira conhecida por seu sistema de automação para jornalismo, a SNEWS está na SET Expo 2018 marcando um reposicionamento mais abrangente da empresa para o mercado de mídia e apresentando as mais recentes inovações da sua plataforma.

“A SNEWS deixou de focar em uma vertical em específico, como TV ou rádio, e passou a pensar e ver as empresas como grupos de comunicação. Hoje, o profissional cria histórias e elas são difundidas em vários meios, seja rádio, TV, web ou impresso. Por isso, passamos a nos focar em todas as verticais de conteúdo dentro de um grupo de comunicação”, disse Tiago Cunha, gerente de projetos e P&D da SNEWS. “Nossa proposta na SET é mostrar como nossa ferramenta de automação e orquestração de workflows de mídia permite gerenciar desde o ingest até a exibição para qualquer plataforma ou device web, impresso, TV ou rádio, de forma que o broadcaster tenha ferramentas que permitirão que eles se concentrem apenas na história, na narrativa, no conteúdo”, ressaltou.

De acordo com o gerente, devido à diminuição de receitas do mercado especialmente após 2014, o público que está visitando a feira neste ano não está buscando crescer mas diminuir despesas. Por isso, a empresa está disponibilizando um recurso de inteligência artificial que auxilia na catalogação dos ativos de mídia. “Basicamente, nós conseguimos eliminar a necessidade de um ser humano dentro de um CDOC. Com a inteligência artificial, todo material gerado e todo o arquivo de uma emissora podem ser catalogados automaticamente”, garante Cunha. “Hoje, um broadcaster chega a ter 20 a 30 anos de CDOC que está morto, sendo usado apenas para o jornalismo. Com essa nova ferramenta, será possível colocar todos esses assets na web para que possam ser vendidos para terceiros interessados”.

Outra novidade é o processo de integração dos sistemas de terceiros à plataforma. Segundo o gerente de projetos, a SNEWS tem realizado parcerias para homologação das ferramentas por importantes players do mercado. “Queremos dar ao broadcaster a tranquilidade de que, quando ele comprar o produto SNEWS, ele não terá uma promessa de integração, mas sim tem uma homologação bidirecional dos dois players falando que aquilo ali, de fato, funciona”.